Conciliação é indicada para conflitos que envolvam planos de saúde, diz especialista

Quase 40% dos processos envolvendo convênios que tramitaram em 2017 foram demandados por idosos.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo revelou que o TJ/SP julgou mais de 30 mil ações contra planos de saúde no ano passado. Em 2011, foram julgados 7.019 processos, ou seja, em sete anos houve um aumento de 329%.

O estudo ainda mostrou que das 30 mil causas, 18.039 foram executadas em primeira instância e 12.078 em segunda instância. As principais causas estão relacionadas à exclusão de coberturas, negativas de atendimento e reajustes na mensalidade do plano de saúde. De acordo com a pesquisa, quase 40% dos processos que tramitaram em 2017 foram demandados por idosos.

A pesquisa foi apontada pela câmara de conciliação online Vamos Conciliar. Para a diretora da câmara, Perla Cruz, o dado é preocupante. “É notável que há uma falha na comunicação entre o convênio e os beneficiários. A conciliação é uma excelente alternativa, pois é simples, rápida, proporciona vantagens mutuas e permite que a parte participe na solução para o conflito.”

Perla explica que no geral a conciliação é utilizada para casos em que as partes não possuam vinculo anterior, como por exemplo, em uma batida de carro. A mediação indicada para casos mais complexos em que as partes possuam um vínculo, como a definição da pensão alimentícia.

Muitas vezes pegamos um caso que seria uma simples conciliação, mas na hora que iniciamos a sessão percebemos que existiam sentimentos que precisavam ser tratados, não estávamos tratando apenas de valores financeiros“, conclui.

Anúncios